Bem vindo(a) à Plataforma SupERa

SupERa, o que é?

A Plataforma de Suporte às Estruturas Residenciais (SupERa) foi desenvolvida com o objetivo de prestar suporte contínuo às Estruturas Residenciais para idosos e Lares Residenciais, face ao período pandémico que vivenciamos.

A Plataforma SupERa irá facilitar o registo e monitorização dos níveis de saturação de oxigénio, temperatura e frequência respiratória dos residentes em Estruturas Residenciais, bem como de outras informações clínicas relevantes. Estes registos ficam disponíveis numa área reservada dedicada a cada residente, permitindo analisar a evolução das medições.
Sempre que sejam registadas medições a SupERa emitirá um alerta com base num sistema de três cores.

Assim, a SupERa pode ser encarada como uma ferramenta de apoio à tomada de decisão das Estruturas Residenciais na vigilância ativa de sintomatologia associada à COVID-19, bem como de outras patologias do foro respiratório. O uso da SupERa é também um contributo para a digitalização do registo deste tipo de medições, evitando-se o registo em papel.

Apoio às Estruturas Residenciais

A Plataforma SupERa tem enquadramento num conjunto mais compreensivo de soluções que visam apoiar as Estruturas Residenciais no combate à COVID-19.

Desde outubro de 2020 que está ativa a Linha COVID Lares (707 20 70 70), disponível 24 horas, todos os dias, para esclarecimento de dúvidas no âmbito da pandemia e agilizar processos de comunicação com as entidades competentes (por exemplo, Saúde Pública ou Segurança Social).

A Linha COVID Lares apoia também as Estruturas Residenciais no reporte ao Instituto da Segurança Social na Plataforma Integrada Monitorização COVID-19 sobre informação relativa à gestão da pandemia. Através da Linha COVID Lares é também possível identificar a necessidade de formação de profissionais em Estruturas Residenciais sobre controlo de surtos e a importância do correto uso de equipamentos de proteção individual. A formação que pode ser desenvolvida nas Estruturas Residenciais tem como objetivo capacitar os profissionais com competências técnicas para desempenho das suas funções em contexto de pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2, incluindo a interação com residentes (potencialmente) infetados pelo novo coronavírus.

Questões frequentes (FAQ)

A Plataforma SupERa abrange apenas ERPI e Lares Residenciais ou abrange outras respostas sociais?

A Plataforma SupERa é dirigida apenas a respostas sociais com componente residencial, isto é, as estruturas residenciais para idosos (ERPI) e lares residenciais.

Como posso registar a minha instituição?

O registo da instituição é validado pela Linha COVID Lares. Deve solicitar a sua adesão e acesso à SupERa no formulário disponível em www.supera.pt e um profissional da Linha COVID Lares entrará em contacto com a instituição para concluir o processo de registo.

A natureza jurídica da minha instituição é de fins lucrativos. Pode a minha instituição registar-se para uso da Plataforma SupERa?

As ERPI e lares residenciais de fins lucrativos podem ter acesso à Plataforma SupERa. O registo da instituição é validado pela Linha COVID Lares. Deve solicitar a sua adesão e acesso à SupERa no formulário disponível em www.supera.pt e um profissional da Linha COVID Lares entrará em contacto com a instituição para concluir o processo de registo.

Como posso registar e autorizar profissionais na minha instituição a registar medições?

Os dados de acesso da instituição à Plataforma SupERa são atribuídos pela Linha COVID Lares. Os dados de acesso serão enviados por correio eletrónico para um email válido e de caráter institucional. É a instituição, quando recebe os dados de acesso e define a palavra-passe de acesso à plataforma, que decide com que profissional partilha as credenciais de acesso à plataforma para inserção e consulta de registos.

Quem tem acesso ao registo de medições dos residentes?

Apenas os profissionais habilitados e autorizados aos quais a instituição tenha cedido as credenciais de acesso à Plataforma SupERa poderão ter acesso aos registos de medições dos residentes.

Qual a regularidade no registo das medições?

A Plataforma SupERa é uma ferramenta de apoio à vigilância ativa de sintomatologia associada à COVID-19 ou outras patologias do foro respiratório. Sugerimos que haja, para cada residente, pelo menos uma medição diária aos parâmetros capturados pela SupERa.

Identifiquei um erro no registo de uma medição. Como poderei alterá-lo?

Assim que identificar um erro de registo, tente analisar se ainda é possível fazer alterações nas medições reportadas.
Caso a Plataforma, por motivos de integridade dos dados, já não permita alterações nos registos, pode entrar em contacto com a Linha COVID Lares, onde um profissional habilitado o ajudará a corrigir a situação. Pode contatar a Linha COVID Lares através do 707 20 70 70.

A Linha COVID Lares é uma linha de apoio às Estruturas Residenciais para Idosos e Lares residenciais no âmbito da pandemia e está disponível 24h por dia, todos os dias.

Por que é que o foco das medições está centrado nos parâmetros temperatura, saturação periférica de oxigénio e frequência respiratória?

A evidência científica sobre a COVID-19 sugere que em casos de infeção é frequente observarem-se alterações nos valores habituais de temperatura, oxigenação e frequência respiratória de uma pessoa considerada saudável.

Por que é que é necessário indicar outra sintomatologia para além dos parâmetros temperatura, saturação periférica de oxigénio e frequência respiratória?

A evidência científica sobre a COVID-19 na população idosa sugere que, por vezes, a manifestação de sintomas típicos de infeção por coronavírus é mais subtil que na população mais jovens. Alguma evidência tem sugerido que, para a população idosa, é vantajosa a monitorização de outros sintomas que podem indiciar uma possível infeção respiratória. É por isso que na Plataforma SupERa tem a possibilidade de assinalar a presença dos seguintes sintomas:

  • Quedas, desequilíbrios frequentes ou alteração da mobilidade inexistentes previamente;
  • Surgimento ou agravamento de incontinência;
  • Dor abdominal;
  • Dor garganta;
  • Dor de cabeça permanente;
  • Dores musculares;
  • Dificuldade em engolir;
  • Redução de apetite;
  • Tosse de início recente;
  • Agravamento de tosse crónica habitual;
  • Expectoração.
Como se mede a saturação periférica de oxigénio?

A saturação periférica de oxigénio mede-se através de um oxímetro. O oxímetro é um pequeno aparelho que se coloca no dedo e regista o nível de oxigenação no sangue. Habitualmente, estes aparelhos medem também a frequência cardíaca.

A minha instituição não tem um oxímetro. Como fazer?

Se a sua instituição tiver acordo com a Segurança Social em vigor e registo ativo na Plataforma SupERa, pode ser elegível para receber um oxímetro (sem custos para a instituição). Esta averiguação será realizada pela Linha COVID Lares.

Caso a sua instituição não seja elegível para a cedência gratuita de um oxímetro, informamos que estes aparelhos estão acessíveis no mercado a preços bastante competitivos, pelo que não deverá ser este um entrave para beneficiar das vantagens do uso da Plataforma SupERa.

Como se mede a frequência respiratória?

Definimos a frequência respiratória como o número de ciclos respiratórios num minuto. Considera-se um ciclo respiratório o conjunto de um movimento de inspiração com o subsequente movimento de expiração.
O vídeo seguinte esclarece como se faz a medição da frequência respiratória: https://www.youtube.com/watch?v=1-hUKbcRyAA

Por que é que o registo da frequência respiratória não é de caráter obrigatório na Plataforma SupERa?

A frequência respiratória deve ser registada por um profissional com formação adequada, dado que a medição não é mediada por nenhum aparelho de medição específico. Por isso, e de modo a não restringir nenhuma instituição no uso da Plataforma SupERa, consideramos o registo da frequência respiratória não obrigatório. Ressalvamos, contudo, que a monitorização da frequência respiratória pode facilitar na identificação precoce de uma infeção respiratória. É, por isso, recomendado que sempre que possível a frequência respiratória seja medida de modo a beneficiar plenamente do uso da Plataforma SupERa.

Quais são os níveis de alerta da plataforma SupERa?

Sempre que for completado um registo de medição na ficha do residente, uma escala de três cores (verde, amarelo e vermelho) ajudará os profissionais em Estruturas Residenciais na tomada de decisão perante o quadro clínico reportado.
A cada registo efetuado na plataforma, as medições são comparadas com os valores habituais e expectáveis para o/a residente para os parâmetros temperatura, saturação periférica de oxigénio e frequência respiratória.
A escala de cores pode ser interpretada do seguinte modo:

  • VerdeEstado Normal – A última medição registada está dentro do intervalo expectável do parâmetro para uma pessoa residente numa Estrutura Residencial.
  • AmareloRequer Vigilância – A última medição registada está afastada do intervalo que é expectável para uma pessoa residente numa Estrutura Residencial ou a presença de outra sintomatologia sugere a necessidade de outros níveis de vigilância. Sugere-se que se façam múltiplas medições ao longo do dia e que estas sejam registadas na SupERa para monitorização da evolução do quadro clínico do residente.
  • VermelhoRequer Intervenção – A última medição registada está fora do intervalo que é expectável para uma pessoa residente numa Estrutura Residencial ou a presença de múltiplos sintomas sugerem a necessidade de outros níveis de atuação. Perante alertas desta natureza, sugere-se contato para a linha de saúde SNS 24 (808 24 24 24) ou, em casos de notória gravidade, o contato direto com o número de emergência médica nacional (112).
Tenho dúvidas sobre a utilização da Plataforma SupERa. Como posso ser esclarecido/a?

A Linha COVID Lares prestará assistência às instituições e utilizadores da Plataforma SupERa. Pode contatar a Linha COVID Lares através do 707 20 70 70.
A Linha COVID Lares é uma linha de apoio às Estruturas Residenciais para Idosos e Lares residenciais no âmbito da pandemia e está disponível 24h por dia, todos os dias.

Parceiros

A SupERa é resultado de uma parceria entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e o Algarve Biomedical Center, no âmbito das medidas de apoio do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social às ERPI e lares residenciais no contexto da pandemia.

Entidades Parceiras
República Portuguesa
Santa Casa
ABC Algarve Biomedical Center